O Homem-cobra

Título: O Homem-cobra

Título Original: SSSSSSS! (1973)

Elenco: Strother Martin (Dr. Carl Stoner), Dirk Bennedict (David Blake), Heather Menzies (Kristina Stoner), Tim O’Conner (Kogen), entre outros.

Direção: Bernard L. Kowalski

Roteiro: Hal Dresner ( roteiro) e Daniel C. Striepeke (história)

Prêmios: Foi indicado, em 1975, ao Prêmio Golden Scroll da Academia de Filmes de Ficção, Fantasia e Terror dos EUA como Melhor Filme de Ficção Científica.

Sinopse: Um cientista especializado em cobras e venenos está obcecado em criar a fusão perfeita entre homens e cobras, desenvolvendo um novo tipo de ser. Depois de produzir um soro capaz de realizar tal mutação, resolve testar sua invenção em seu novo asssitente, um jovem que está atraído pela filha do cientista. Sem saber sobre a real função do medicamento, o rapaz começa a sofrer os efeitos da fórmula e, aos poucos, seu corpo muda e toma a forma de uma cobra gigante.

Status do filme: Por enquanto, apenas o VHS, desaparecido do mercado, e o DVD importado. Contando com a sorte, na TV. Em breve, a NBO lançará o DVD no País, sem extras.

Classificação: 7 de 10

Opinião:

Para quem se lembra da Sessão das Dez, no SBT, este filme é inesquecível. No final da década de 1980, quando já era viciado em filmes trash e consumia ferozmente filmes em VHS das locadoras da Vila Prudente, nunca consegui achar esta peça rara. Ano passado, por acaso do destino, vi que o filme iria passar no SBT (para variar!) numa madrugada de sábado. Para minha alegria, não consegui gravar o filme e perdi uma oportunidade que levou anos para aparecer.

Mês passado, quando vi a lista de DVDs que seriam lançados pela empresa em que trabalho, não pude conter minha surpresa e satisfação. Lá estava SSSSSS. Para quem não sabe o que significa este monte de ‘S’, no Brasil, é sinônimo de O Homem-cobra. Tosco, com efeitos básicos de maquiagem e sem os CGEs que abarrotam os lançamentos atuais, este filme surpreende por sua originalidade. Não tem cabimento imaginar que um soro possa alterar a formação genética do corpo de um homem adulto e transformá-lo em uma cobra gigante. Este é o mote de O Homem-cobra. Não que a idéia não tenha sido exaustivamente copiada, mas a execução é muito divertida.

Como um exemplar dos filmes de ficção dos fins da década de 1970 e um troféu dos filmes trash, O Homem-cobra mereceria um 10. Entretanto, já está datado, perdeu sua originalidade e ficou esquecido em um mundo de produções parecidas. Hoje, não tem um décimo do efeito que teve na minha época de criança. Pelo valor histórico e como curiosidade, vale uma conferida.

3 comentários em “O Homem-cobra

  1. Ótimo comentário! Eu tb passei madrugadas,ainda moleque,par assitir o filme. Morria de medo mas curtia ver o personagem principal sofrer tal mutação…O legal é saber que ele será relançado!! Aguardemos…

    Curtir

  2. Eu tinha 9 anos quando assisti pela primeira vez e confesso que agora com 37 anos gostaria de assisti-lo novamente, sei que os efeitos eram precários, beirando o ridículo comparado aos recursos que os cineastas têm hoje à disposição, mas era um clássico da época e deve ser lembrado com muito respeito.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s