Alexandre Aja – diretor, roteirista e produtor

Em 2006, quando chegou aos cinemas a versão atualizada de The Hills Have Eyes, conhecida no Brasil como Viagem Maldita, o clássico filme de Wes Craven, lançado na década de 1970 (conhecido por aqui como Quadrilha de Sádicos), ganhou uma cara totalmente diferente do original. Devemos dizer que não esperávamos por um filme dos melhores, visto que na mesma época diversos outros remakes abarrotavam o mercado cinematográfico. O sucesso foi estrondoso e o nome Alexandre Aja começou a ganhar destaque internacional desde então. No currículo do jovem cineasta não havia mais do que meia dúzia de pelúclias. Contudo, uma delas ganhou destaque no mercado internacional e abriu as portas necessárias para que Alexandre chegasse até aqui – trata-se de Alta Tensão (High Tension, 2003, lançado no País pela Europa FIlmes).

Produzido e executado com um estilo que une violência gráfica, gore e uma trama repleta de suspense, o filme tornou-se um marco na carreira de Aja e funcionou como divisor de águas no cinema de terror francês, e criou oportunidades para ele e seus conterrâneos em Hollywood. O tratamento que este cineasta francês dá ao gore e à violência nos faz crer que estes elementos são, de fato, considerados personagens de seus roteiros, tendo a mesma consideração que os protagonistas têm.

Depois de colher os frutos destes dois sucessos, Alexandre Aja escreveu e produziu outra produção hollywoodiana: P2 – Sem Saída (P2, 2007, Paris Filmes). Desta vez, ele cedeu a batuta para outro diretor, um iniciante chamado Franck Khalfoun. A produção não obteve o mesmo sucesso das anteriores assinadas por Aja, porém, não o descredenciou a desenvolver outros projetos no mercado norte-americano.

Contando com um orçamento maior e mais tempo para produzir e escrever o roteiro, o francês está estreando um novo filme agora em agosto – Mirrors (ainda sem nome nacional). Para a execução do trabalho, contou com a colaboração de um fiel compatriota, parceiro de longa data, que participou efetivamente dos sucessos anteriores, Grégory Levasseur. Além da dupla, Kiefer Sutherland protagoniza a fita e garante mais credibilidade à produção. Mirrors é uma adaptação de um filme coreano de muito sucesso internacional, Espelhos (Into the MIrror, 2003, lançado no Brasil pela Europa Filmes). Trata-se de um conto sobrenatural envolvendo fantasmas que querem vingança e a conseguem utilizando os espelhos de uma loja de departamentos. Ao assistirmos ao trailer da nova versão podemos ter uma idéia do toque particular que Aja deu ao filme.

Pelo visto, Alexandre pegou gosto pelos remakes e está se dedicando a mais um para 2009. O escolhido é clássico B dos anos 1970, Piranha. O original era presença garantida das matinês da TV nos anos 1980 e fez parte da juventude de muitos adoradores do gênero (inclusive da minha). A novidade, além de seu toque particular ao roteiro, fica por conta da produção ser executada para ser exibida com a tecnologia 3D. É esperar para conferir mais esta novidade deste novo talento do cinema fantástico. No post a seguir, uma entrevista com Alexandre Aja feita por Brian Collins, editor do website Bloody-Disgusting.com (confira a versão original em inglês aqui), gentilmente cedida para este blog e traduzida por mim. Divirtam-se!

por André L. C. Ferreira

~ por andre1979 em 03/08/2008.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: