15. Possuída

Ficha Técnica

Nome nacional: Possuída

Nome original: The New Daughter

Ano de produção: 2009 (estreou em 18/12/2009)

País de produção: EUA

Direção: Luis Berdejo

Roteiro: John Travis, com base no conto de John Connolly

Elenco: Kevin Costner, Ivana Baquero, Samantha Mathis e Gattlin Griffith

Duração: 108min

Distribuidora: California Filmes

 

Resenha:

Quando recebi a cópia de serviço (DVD enviado para a imprensa antes do lançamento) de Possuída, fiquei pensando de que se tratava este filme, ainda mais com o Kevin “O Guarda-Costas” Costner como protagonista. O último trabalho que havia visto até então com o ator foi O Mistério da Libélula e eu não tinha curtido muito o filme, de modo geral. Resolvi então fazer uma breve pesquisa sobre o título e encontrei algumas informações que deram o aval para que eu fosse confiante colocar o disco no player.

A primeira informação relevante que encontrei foi a de que a garota que em tese seria possuída, já que o filme chama-se Possuída, logo não seria o Kevin Costner o alvo aqui, é interpretada por Ivana Baquero. Quem assistiu ao excelente O Labirinto do Fauno, de Guillermo Del Toro, sabe quem é a menina. Ela deu um show antes e potencialmente poderia dar outro agora, quem sabe?

A segunda novidade para mim foi o fato de o diretor do filme ser Luis Berdejo. Esta é a estreia dele como diretor de longas-metragens, mas não é a primeira obra de terror em que ele se envolve – ela já trabalhou na função de roteirista de ótimos filmes como Delinquentes e Diabólicos, [REC], Imago Mortis e estará [REC]3 Génesis, ainda sem nome em português. Ou seja, o cara sabe no papel, logo, será que ele poderia errar tanto para não saber fazer com a câmera na mão? Isso eu já descobri e vou contar agora.

A história é bastante simples e não há nenhum mistério relacionado aos protagonistas, uma família composta por John James (Costner) e seus dois filhos, a adolescente Louisa (Baquero) e o garoto Sam (Gattlin Griffith). Depois que a mulher de John e mãe das crianças os abandona para viver com o novo namorado, o trio se muda para uma velha casa na Carolina do Sul, EUA. Obviamente, Louisa está naquela fase entre criança e mulher e está cheia dos conflitos e dúvidas e isso faz com que ela viva um caso de amor e ódio com seu pai, já que ele forçou os filhos a se mudarem para o interior com ele. E a nova vida começa mal para ela, já que em seu primeiro dia de escola Louisa precisa lidar com uma garota chata de sua classe e com uma professora flertando com seu pai.

O que consola a garota é que nos arredores de sua nova casa há um estranho monte, que chama a atenção. A família descobre que o terreno que eles compraram tem origem indígena e que o tal monte é um monumento funerário dedicado aos mortos. Isso intriga Louisa e ela passa horas sozinha por lá. Com o passar dos dias, o comportamento da jovem muda. Ela tem o seu primeiro período e anda cada vez mais estranha. John se assusta durante uma tempestade quando vai ao quarto da filha para fechar a janela e a encontra durante uma crise de sonambulismo. Ela tem nas mãos um estranho objeto, que não se parece em nada com suas tradicionais bonecas. John fica preocupado e passa a observar de perto o modo de agir de Louisa. Até Sam, que tem apenas sete anos, repara nas mudanças que estão acontecendo com sua irmã.

Quando John começa a investigar o passado da casa, descobre que coisas estranhas aconteceram por lá. Ao mesmo tempo, descobre que o monte indígena pode estar relacionado a culturas muito mais antigas e que sua família pode estar em risco. Melhor não revelar mais sobre o roteiro, pois é bem legal como isso se desenrola e eu poderia estragar a diversão se der tudo de bandeja agora.

Apesar de Possuída ser um filme rodado nos Estados Unidos e ter elenco hollywoodiano, é uma típica produção espanhola. O diretor consegui manter o estilo sombrio durante todo o filme e o desenrolar da trama se dá de forma lenta, construindo o clima tenso já tradicional da escola que o cineasta segue, ao lado dos já consagrados Paco Plaza e Jaume Balagueró, também espanhóis. O que pode cansar um pouco é o fato de o filme só ficar agitado em seus 30 minutos finais. São 68 minutos de passo lento para construir a história e estabelecer os links para que o final faça sentido. Funciona? Sim. Todavia, não é para todos os gostos.

Concluindo essa análise, Possuída é um bom filme, muito bem feito e com roteiro bem amarrado. É escuro, tem bastante clima, sustos e pouco sangue. Kevin Costner e Ivana Baquero fazem um bom trabalho como protagonistas e seguram a tensão entre pai e filha durante o tempo necessário. Recomendo e já adianto que a fita não tem final feliz.

 

Nota: 7

4 comentários em “15. Possuída

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s