16. A Clínica

Ficha Técnica

Nome nacional: A Clínica

Nome original: The Clinic

Ano de produção: 2010

País de produção: Austrália

Direção: James Rabbitts

Roteiro: James Rabbitts

Elenco: Tabrett Bethell, Freya Stafford e Andy Whitfield

Duração: 94min

Distribuidora: Paris Filmes

 

Resenha:

Na Austrália dos anos 1970, um casal, Beth e Cameron, segue viagem pela estrada e por conta de um pequeno desvio no caminho para a casa da mãe dela, eles acabam demorando demais e a noite está chegando. Como Beth está com a gravidez já adiantada, Cameron acha melhor que eles encontrem um motel para passarem a noite com mais segurança e seguir viagem pela manhã. Eles acham um lugar bonito e calmo para ficarem e tudo parece bem. No entanto, Beth está tendo pesadelos que a deixam cada vez mais preocupada com relação ao bebê deles. O primeiro sonho ruim acontece à beira da piscina, o que deixa Cameron assustado. Durante a noite, novamente o mesmo sonho. Para ajudar sua esposa a dormir, o rapaz decide sair para buscar algo para comerem e quando ele retorna, Beth sumiu.

A Clínica é um daqueles filmes de terror independentes ao extremo, feitos fora dos EUA e que correm por fora nos festivais e raramente chegam aos cinemas. Lançado diretamente em DVD no Brasil, este filme me chamou a atenção e valeu a pena ter visto. Na verdade, o vi duas vezes. Por ser uma produção vinda da Austrália, era de esperar que ele fosse mais denso e violento que algumas produções feitas no underground americano, cuja brutalidade beira o mau gosto. A Clínica tem suspense, tensão e violência na medida certa, ao meu ver.

Depois que Beth desaparece, Cameron parte pela cidade em busca de ajuda para achar sua esposa. Ele começa conversando com o zelador do motel e depois com o xerife, mas eles nada sabem ou viram que seja de utilidade para o rapaz. Com isso, ele sai pela estrada em busca de alguma pista de sua esposa. Enquanto isso, Beth desperta em um lugar estranho, em uma banheira de gelo, completamente nua e já sem seu bebê no ventre. A soma disso não poderia resultar em momentos de pânico e desespero.

Algum tempo depois, a jovem percebe que não está sozinha e que outras moças, assim como ela, tiveram seus recém-nascidos removidos de seus corpos e todas possuem as mesmas cicatrizes. Perdida e sem saber onde está, Beth vaga pelo local até achar uma saída que dá para um terreno deserto. Ao perceber que o terreno está cercado e é numa região árida do país, ela pouco a pouco encara a realidade de que está presa e seu destino agora é incerto. Ela desmaia e é acudida pelas outras. Aos poucos, todas as moças descobrem pontos comuns entre elas e algumas pistas que as ajudam a descobrir o que se passa. Beth e suas colegas, entretanto, não estão sozinhas. Há algo ou alguém as vigiando e, mais que isso, começa a matar, uma a uma. Cameron também descobre que corre perigo em sua investigação e percebe que tudo indica que há uma conspiração no local para sumir com as jovens grávidas. E isso lhe custa caro.

A Clínica é um ótimo filme, muito bem montado, com uma trama que reserva uma boa surpresa para o espectador rumo ao fim e que depois consegue dar um nó em quem já pensava que tinha matado a charada. Vale uma conferida!

 

Nota: 8

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s