38. Identidade Paranormal

Ficha Técnica

Nome nacional: Identidade Paranormal

Nome original: Shelter

Ano de produção: 2010

País de produção: EUA

Direção: Mans Marlind e Bjorn Stein

Roteiro: Michael Cooney

Elenco: Julianne Moore, Jonathan Rhys Meyers, Jeffrey DeMunn

Duração: 112min

Distribuidora: California Filmes

 

Resenha:

Identidade Paranormal é um daqueles filmes que chegam às prateleiras sem muitas referências além da atriz famosa que faz o papel principal e que pode surpreender o espectador com uma trama interessante, bons sustos e uma interpretação marcante de Julianne Moore e Jonathan Rhys Meyers (apesar de sua fase pessoal ruim perante a mídia internacional). O texto intrigante do filme é de Michael Cooney, autor de outros roteiros bacanas como os dos filmes Identidade e O Terceiro Olho, ambos de relativo sucesso (mais o primeiro que o segundo).

Cara Harding (Moore) é uma psiquiatra forense que está vivendo um momento de recuperação em sua vida pessoal depois da morte de seu marido durante um assalto. Sua filha pequena, Sammy, está tendo problemas em aceitar a morte do pai e virou as costas para qualquer crença religiosa. Isso atormenta Cara, que é uma católica fervorosa e está também em crise com sua fé. Quem está ajudando as duas é Stephen, irmão de Cara, que fica com a menina para que a mãe possa trabalhar.

Depois de algum tempo praticando a medicina em seu consultório, Cara recebe o convite de seu pai, um renomado psiquiatra forense, para ajudá-lo em um caso de múltipla personalidade. Ela aceita, apesar das ressalvas com relação ao seu pai – que não aceita que ela abandone a profissão como ela tem feito desde a morte do marido dela. A cada nova descoberta de Cara, uma nova revelação feita por seu pai faz com que ela se sinta como se estivesse tendo sua competência testada por ele.

Quase deixando de lado o caso, Cara sente que está realmente progredindo com seu paciente (Meyers) e decide dar mais uma chance para a tarefa. Porém, as pessoas que já tiveram contato antes com o paciente começam a morrer de forma misteriosa, como se uma doença que começa espiritual e se torna física os atingisse. Confiante de que está no caminho certo, Cara começa a investigar os nomes que as personalidades do rapaz adota e descobre que todos os nomes pertencem a pessoas que já morreram.

Quanto mais fundo Cara vai na trama para descobrir o que o rapaz sabe sobre suas outras personalidades, maior a influência do caso na saúde mental dela. No momento em que as mudanças de personalidade do homem começam a afetar a vida particular da médica, Cara percebe que é hora de confrontar seus próprios medos e convicções para salvar sua filha, contaminada pela mesma praga que matou os outros.

Identidade Paranormal mistura ciência e religião para dar ao espectador uma história interessante e bem amarrada sobre possessão à luz da medicina e a necessidade de se crer em algo para manter a sanidade. Isso funciona bem para o filme, que se mantém interessante até o fim, guardando umas surpresas para o seu final. Boa escolha.

 

Nota: 7,5

~ por andre1979 em 07/08/2011.

Uma resposta to “38. Identidade Paranormal”

  1. Mto bom filme,um suspense dos melhores!!!Julianne Moore como sempre interpreta bem a Cara Jessup

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: