46. The Killer Shrews – O Ataque dos Roedores

Ficha Técnica

Nome nacional: The Killer Shrews – O Ataque dos Roedores

Nome original: The Killer Shrews

Ano de produção: 1959

País de produção: EUA

Direção: Ray Kellogg

Roteiro: Jay Simms (baseado em seu próprio conto)

Elenco: James Best, Ingrid Goude, Ken Curtis

Duração: 70min

Distribuidora: Flashstar

 

Resenha:

Com tantos filmes novos de terror lotando as prateleiras, sempre faz bem dar uma olhada no arquivo e ver algumas pérolas esquecidas e lembrar como é divertido ver um filme de terror feito em uma época em que os recursos eram escassos e a criatividade era de sobra. The Killer Shrews – O Ataque dos Roedores faz parte de uma coleção que a Flashstar lançou há pouco tempo apenas com raridades da ficção científica e do terror. Não posso afirmar por todos os filmes deste selo, mas grande parte chega em versões colorizadas. O original em preto-e-branco vem como extra do DVD.

Realizado no final da década de 1950, The Killer Shrews é um dos vários filmes da época que tem como tema o modo como a ciência interfere na natureza e a forma como isso dá errado e volta pior para a humanidade. Em geral, os filmes de ficção científica desta fase do cinema se baseiam no fantástico, como algo natural que extrapola a realidade ou sem seres irreais que surgem para invadir o planeta, sejam vindos de fora dele ou de algum ponto remoto de seu interior.

A história de O Ataque dos Roedores parte do momento em que o marinheiro Thorne Sherman (Best) chega a uma ilha para retirar os moradores do local. Quem o contratou foi um cientista, o Dr. Craigis (Baruch Lumet), que está no local com sua filha Ann (Goude), seus empregados e outro médico, e quer sair de lá imediatamente. Porém, uma tempestade se forma rapidamente e o grupo fica preso na ilha. É nesse momento em que começam a acontecer misteriosos ataques aos empregados da família em cantos mais remotos do terreno.

Preso na casa principal junto de Ann e Craigis, Thorne começa a descobrir o tipo de experimento que os cientistas estão realizando na ilha e as consequências disso. Ann está muito tensa e se assusta com qualquer ruído. Thorne começa a suspeitar de que algo está errado e Craigis confessa que algo deu errado em suas experiências e o resultado é que as cobaias, pequenos ratos de laboratório, cresceram muito e estão à solta perto da casa. Com alguns empregados mortos, Thorne logo conclui que os ratos gigantes estão em busca de alimento e o jantar poderá ser ele.

Os efeitos muito toscos quando vistos hoje em dia dão um charme especial a The Killer Shrews – O Ataque dos Roedores. O clima que esse tipo de história causava no passado já não tem a mesma (para não falar nenhuma) eficiência e não assusta em nada. Digo isso sem menosprezo algum pelo filme. Se pensarmos no tanto de violência que temos expostos na TV e nos filmes, não só de terror, mas de qualquer gênero, chega a ser ridículo pensar em comparar. A beleza deste filme está justamente em sair dessa atmosfera tão presa à realidade e fazer uma curta viagem no tempo para ver o que habitava a imaginação das gerações passadas e motivava o cinema fantástico. Uma viagem no tempo altamente recomendada.

 

Nota: 7

~ por andre1979 em 16/08/2011.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: