59. O Dom da Premonição

Ficha Técnica

Nome nacional: O Dom da Premonição

Nome original: The Gift

Ano de produção: 2000

País de produção: EUA

Direção: Sam Raimi

Roteiro: Billy Bob Thornton e Tom Epperson

Elenco: Cate Blanchett, Katie Holmes, Keanu Reeves, Greg Kinnear, J.K. Simmons, Hilary Swank, Giovani Ribisi

Duração: 112min

Distribuidora: Europa Filmes

 

Resenha:

O Dom da Premonição foi o primeiro filme que comprei em DVD. Lembro-me que vi o filme no cinema, depois aluguei e gostei tanto que quando comprei o meu primeiro player de DVD, comprei junto alguns filmes e este estava na lista. Não é propriamente um filme de terror, mas transita pelo gênero e é muito melhor que muitas produções parecidas que são batizadas como sendo de terror. Além disso, é um filme de Sam Raimi, o que já vale o ingresso (ou a compra, ao menos para mim). Tirando a trilogia do personagem Homem-Aranha, que honestamente não gostei muito, Raimi tem uma filmografia interessante quando ele caminha pelo terror. Vejam por exemplo The Evil Dead – A Morte do Demônio e suas duas derivações, Darkman – Vingança Sem Rosto, O Dom da Premonição e Arraste-me Para o Inferno. Convenci?

Além de uma história bem amarrada, O Dom da Premonição consegue reunir um elenco de estrelas como Cate Blanchett, Keanu Reeves, entre outros, em um projeto que não tem o glamour nem o orçamento que normalmente suportariam tal investimento. Fato é que essa reunião de talentos dá um ótimo resultado nas mãos de Raimi, mesmo com pequenas participações da maior parte deles, como Keanu Reeves, Giovani Ribisi, Hilary Swank e Katie Holmes, que aparecem pouco, mas são fundamentais para o desenrolar da história. Os protagonistas são Cate Blanchett e Greg Kinnear e eles estão muito bem. Na pesquisa que fiz antes de escrever essa resenha, li críticas que elogiavam a atuação de Blanchett, citando sua personagem como uma das melhores da carreira da atriz.

O roteiro, escrito por Billy Bob Thornton (sim, o ator), trata de alguns temas delicados como a violência doméstica, a pedofilia, o preconceito – na forma do machismo e das diferenças sociais – e a fina linha entre a sanidade e o sobrenatural. Tudo isso retratado no pequeno universo da vida de uma viúva, Annie Wilson (Blanchett), que luta para sustentar seus três filhos pequenos trabalhando como vidente em uma cidade no interior dos EUA. Ela possui o dom (do título) de ver o futuro e ela faz isso para o público usando cartas. Obviamente, essa não é a única porta que ela usa para ver o futuro. Sem que ela possa controlar, visões a atormentam praticamente em qualquer lugar, basta uma pequena ação aleatória ao seu redor para desencadear um momento breve de terror.

Ao mesmo tempo em que Annie começa a se interessar pelo diretor da escola de seus filhos, Wayne Collins (Kinnear), ela descobre que ele está noivo da bela Jessica King (Holmes) e acaba se afastando. Annie é amiga do problemático Buddy (Ribisi), um jovem faz-tudo que é atormentado por seu passado e que parece ser uma bomba que pode explodir a qualquer momento. A relação dos dois acaba sendo importante para os dois, já que o rapaz ajuda Annie com os problemas com o carro e com a casa, enquanto ela é sua única amiga e confidente.

Algum tempo depois de um pequeno conflito entre Wayne, Annie e Jessica, a moça desaparece e Donnie Barksdale (Reeves), um homem com passado de violência e abuso de sua esposa (Swank), é o principal suspeito pelo possível crime. Sem pistas, a polícia e Wayne recorrem ao dom de Annie, que reluta mas acaba concordando em ajudar, mesmo com a descrença sobre seus métodos. A verdade é que Annie já vinha tendo visões sobre a moça sumida, mas ainda não havia conseguido juntar as peças até o momento. Todavia, quando ela finalmente entende o que está acontecendo, pode ser que ela tenha ajudado a polícia a condenar um homem inocente.

Momentos de tensão, sustos, pesadelos, movimentos e enquadramentos de câmera diferentes. Nada disso é novidade no cinema de Raimi e é o que aguarda o espectador que resolver assistir a O Dom da Premonição. Eu gostei e recomendo.

 

Nota: 8

 

2 comentários em “59. O Dom da Premonição

    1. Camila, concordo contigo que o filme não é uma história boba de terror e é muito melhor que grande parte dos outros filmes do gênero que estão chegando. Porém, para mim, achei que apela demais para o susto comum e para caras e bocas do elenco. Obrigado por seu comentário!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s