O Massacre dos Barbys

O Massacre dos Barbys

O Massacre dos Barbys

Ficha Técnica:

Nome nacional: O Massacre dos Barbys

Nome original: Killer Barbys

Ano de produção: 1996

País de produção: Espanha

 

Direção: Jesus ‘Jess’ Franco

Roteiro: Jesus ‘Jess’ Franco e Patxi Irigoyen

Elenco: Santiago Segura, Mariangela Giordano e Aldo Sambrell

Duração: 87min

Distribuidora: Vinny Filmes

 

Resenha:

Já lançado em DVD no Brasil pela Continental, O Massacre dos Barbys está sendo relançado pela Vinny Filmes como parte da Coleção Clássicos do Terror. A maior diferença entre as duas versões está na opção de dublagem em português que o novo DVD oferece.

Em linhas gerais, a trama é bastante básica e faz parte do repertório tradicional do diretor espanhol Jesus Franco. A banda The Killer Barbys está em turnê e depois de uma mais apresentação cai na estrada rumo a outra cidade. Durante a viagem, o carro da banda pifa e o grupo se vê preso em uma estrada deserta, no meio da noite. A única opção deles é buscar abrigo em um castelo que fica ali perto. Ao chegarem ao local, são recebidos por um senhor com aspecto nada amigável, que se apresenta como o assistente da Condessa Von Fledermaus, que reside ali.

Doente e idosa, a Condessa não recebe seus hóspedes, mas permite que eles fiquem na casa e tenham suas necessidades atendidas pelo empregado. O que os jovens do grupo não sabem é que a senhora da casa tem centenas de anos e se mantém viva às custas do sangue de suas vítimas, o que em breve todos serão.

O Massacre dos Barbys não reserva grandes surpresas ao espectador. O filme reúne belas mulheres, sexo, rock, ambiente velho, escuro e enevoado, e uma condessa que precisa de sangue para viver – tudo isso já é comum nas produções de Franco. Nada de novo, apesar de ser um filme rodado em 1996, com mais tecnologia e recursos. Para Franco, todavia, isso não parece importar. Ele continua a fazer cinema do jeito tosco que ele já fazia nas décadas anteriores e isso foi o que o tornou – e ainda o faz – famoso em seu próprio modo. Apesar de soar como crítica, não vejo essas características como negativas, apenas como algo fora do tradicional dos dias de hoje. E isso pode ser bom, pois é assim que se vê a assinatura de um bom e talentoso cineasta.

Recomendo O Massacre dos Barbys mais como uma curiosidade do que como uma obra de arte. Apesar de antiquado e exagerado, ainda é melhor que muita coisa que chega ao home vídeo e ao cinema atualmente.

 

Nota: 6

 

~ por andre1979 em 29/01/2012.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: