Franquia Resident Evil, a Nova Era dos Zumbis

  Os zumbis são figuras já comuns no entretenimento. O que surgiu como folclore ou mitologia da América Central ganhou as telas da forma como vemos hoje pelas mãos do cineasta norte-americano George A. Romero em A Noite dos Mortos-Vivos. Mas essa parte da história já foi contada aqui. O interessante é que a moda…

Zumbis e afins

Mortos que voltam das tumbas? Apesar de sempre presentes na mídia, pouco se sabe da origem dos zumbis. O termo tem origem africana e possui dois significados similares “alma que vagueia pela noite” e “alma de outro mundo, espírito ou fantasma”. E é justamente com base na mitologia africana que nasceu o primeiro filme sobre…

O Corvo, de Edgar Allan Poe

O corvo (tradução de Machado de Assis, texto retirado do site Pensador, do UOL) “Em certo dia, à hora Da meia-noite que apavora, Eu, caindo de sono e exausto de fadiga, Ao pé de muita lauda antiga, De uma velha doutrina agora morta, Ia pensando, quando ouvi à porta Do meu quarto um soar devagarinho,…

O Enigma de Outro Mundo – As versões de 1982 e 2011

Recentemente, assisti ao filme O Enigma de Outro Mundo, lançado pela Universal em 2011 no home vídeo, depois de passar pelos cinemas. Fiz uma rápida pesquisa no Google antes de conferir o longa e vi que tem muita gente dizendo que se trata de um remake, enquanto outros falam sobre ser uma versão diferente da mesma trama. Bom, acertou quem falou que o lançamento é uma ‘prequel’, ou seja, uma trama que se passa antes dos eventos do filme de 1982, de mesmo título, mas dirigido por John Carpenter.

Herói Solitário – um artigo sobre Hellboy 2

Apesar de Hellboy II ter sido lançado no mercado norte-americano ao mesmo tempo dos outros grandes, momento em que teve como concorrentes diretos Hancock, Viagem ao Centro da Terra e Procurado, também teve que lidar com a ressaca que seguiu o período após os lançamentos de Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal, Kung Fu Panda, Wall-E e o remake de Agente 86 – tendo em vista que a grande estréia da temporada ainda não havia chegado e o público estava ansioso à sua espera -, seu desempenho foi aquém do esperado. O filme não desagradou ao público, entretanto, não o cativou por lá. Se os espectadores norte-americanos são exigentes, o público brasileiro não fica atrás. A estratégia de lançá-lo no País depois de todos os blockbusters com super-heróis como ponto central pode ser tanto um tiro no pé quanto uma jogada de mestre. A esperança do estúdio é que a produção supere a marca dos 100 milhões de dólares, somando-se o mercado mundial; e, ao que parece, isto irá mesmo acontecer. No Brasil, a produção irá encarar nas bilheterias oponentes não tão poderosos quanto os que enfrentou no hemisfério norte. Este fator, aliado ao fato do povo brasileiro ser fã de quadrinhos e ter recepcionado bem o primeiro filme da franquia, pode ser um indicador de que o Brasil ajudará o diretor a ter mais tranqüilidade enquanto trabalha em seu novo projeto, que parece ser o mais ambicioso de sua carreira – The Hobbit. Por enquanto, nada ainda há de oficial sobre enredo, elenco e data de estréia, prevista para meados de 2011. O que sabemos é que o competente cineasta mexicano está escalado para a direção e endossado por Peter Jackson, que produzirá não apenas um, mas dois filmes desta que parece ser uma nova parte franquia.

Trilogia Evil Dead

Um fim de semana em uma cabana na floresta. Cinco jovens e a promessa de diversão se transformando em um festival de mortes, muito sangue e violência. Esta trama se parece muito com a de dezenas de filmes que lotam o mercado. Para os padrões atuais, isso é muito comum. A violência explícita, o horror na forma de mortes gratuitas, envolvendo adolescentes e festas, já se tornaram previsíveis. Acredite, isso acontece hoje por causa de algumas produções que, na época em que foram produzidos, chocaram os espectadores. Os filmes de terror nem sempre foram iguais.

Stan Winston e A Vingança do Demônio

Além de ser responsável por criar monstros, criaturas bizarras, alienígenas e robôs (inclusive do novo sucesso da Marvel, O Homem de Ferro), Stan também se aventurou na direção e na autoria de roteiros. Foi assim que tive meu primeiro contato com este nome, que mais tarde se tornaria uma referência de qualidade para determinar se um filme valeria a pena ser visto. Assim como você sabe se um filme é digno através de um diretor ou de um ator, se a produção tem o nome de Stan Winston envolvido, pode ter certeza que vale dar uma conferida. O primeiro filme por ele dirigido é um clássico do Terror: A Vingança do Demônio, que tem como protagonista Lance Henriksen, outro nome bastante conhecido do gênero.